(de) EFICIENTES

Olá pessoal, hoje trouxe uma entrevista bem legal com o professor de educação especial Richardson Albuquerque, ele está desenvolvendo um trabalho extremamente importante aqui em Aracaju e achei interessante compartilhar com vocês.



Além de professor, é consultor pedagógico e palestrante, aborda sobre a importância da inclusão nas escolas e prepara os profissionais a saberem lidar com os diversos desafios desta inclusão.


1. Qual seu método mais eficaz para os profissionais trabalharem com a inclusão?

R: Entendo método como caminho a ser adotado. Diante da complexidade em escolarizar educandos com deficiência que possuem certos comprometimentos da interação social, criei o método PCA: Prazer. Convencer. Aprender. Um ambiente prazeroso é o primeiro canal para interação educando - educador. Ao gerar prazer o professor automaticamente irá gerar confiança e isso é fundamental para o processo do ensino.


Sem gerar confiança, a interação não pode seguir. A grande questão está aí, se esse prazer não for gerado ocorrerá no educando com deficiência, o comportamento de negação para a aprendizagem. Negar a atividade e o adulto no processo de ensino é o maior de todos os equívocos e deve ser evitado ou contornado. Essa é uma educação que exclui e não gera possibilidades.

2. Qual a maior necessidade de adaptação das escolas atualmente? Estrutura física ou pedagógica?

R: A maior necessidade está diretamente nas ações pedagógicas. O estrutural existe políticas de acessibilidade aplicadas nos espaços escolares. A questão pedagógica está diretamente ligada ao aprender. Esse é o grande desafio. O que ensinar se o docente não aprendeu de forma efetiva seja na sua formação inicial e continuada ações pedagógicas para o processo escolar dos alunos com deficiência? Foi esse questionamento que me levou a desenvolver estratégias pedagógicas aplicadas às realidades das salas de aula do Brasil. O professor apenas irá ressignificar ou adaptar de acordo com suas necessidades.


3. Você se sente realizado em trabalhar com essa temática? Nota-se avanços no preparo desses profissionais?

R: Realizado e preparado para essa complexidade. Quando decidi iniciar a tomada de decisões sobre essa temática "adaptação de conteúdos do livro didático, provas e simulados voltados aos educandos com deficiência intelectual ou autistas", eu estava ciente que eu seria o idealizador. O meu desejo do saber me levou a criar essas estratégias. Estratégias inovadoras e criativas sem rebuscamento nas palavras. Professor urge de ações simples e eficientes na sala de aula.

Entendo avanços como progresso. Cursos de formação continuada existe aos milhares e possuem ações mobilizadoras, porém cursos com ações potencializadoras ainda não vi. Chamo de ações potencializadoras a contribuições que esses cursos devem proporcionar para a verdadeira tomada de decisões "identificar realidades, gerar possibilidades para atender as necessidades educacionais especiais desses educandos".


4. Qual a expectativa para o lançamento do seu primeiro livro? Quais as principais questões que ele irá abordar?

R: Costumo ressignificar a palavra expectativa. Vejo como perspectivas. Na expectativa espero por algo que desconheço ou suponho. Na perspectiva busco compreender momentos, ambientes e ações com objetivo de reajuste necessários. Estou extremamente realizado com meu livro e sobre este sentimento buscarei realizar um chamamento. Assim, vejo o lançamento do meu livro um chamamento da sociedade para sentir de perto um livro que atende a uma carência no país. Potencializar o poder de criação do leitor para que o mesmo a partir das minhas estratégias criativas possa ressignificá-las e aplicá-las com êxito no seu cotidiano profissional nos espaços educacionais e educativos. 

O livro tem como inovações: os passos para adaptação de conteúdos do livro didático, questões de provas e simulados voltados aos educandos com deficiência intelectual ou autistas. O livro é um clamor dos pais, professores e demais profissionais envolvidos da escolarização dos educandos com Deficiência.


5. De que forma costuma adequar sua didática e linguagem para passar os ensinamentos aos demais?

R: A minha linguagem é por Vivência, ou seja, pela ação representativa das minhas experiências em sala de aula com esses educandos. Linguagem direta, um papo reto sem "mimimis", afinal, palavras eloquentes são bonitas e podem até encantar, mas quando não compreendidas enfeitam necessidades. Na maior parte do livro o leitor terá a sensação que estou com ele, em outras, sentirá um puxão de orelha e até mesmo a profundidade acadêmica adaptadas às realidades e ainda, o humor e a profunda reflexão de vida, características de minha marca pessoal.
6. Que mensagem gostaria de deixar aos educadores que ainda não trabalham esse método na escola?

R: Não diria que não trabalham com esse método, até porque o leitor ainda não tem acesso ao conhecimento direcionado ao meu livro. Diria que os professores devem abandonar o discurso de não saber fazer, para fazer mesmo sem saber. Não existe erro sobre essa visão, existe vontade de aprender sobre a ação real da sala de aula. Para isso criei outro método que abordo no livro, "Profissional OPC". Quer saber do que se trata? Aguarde nas melhores livrarias do país. 

Abraço potencializador cheio de luminosidade! 


-


Espero que tenham gostado de conhecer esse trabalho fantástico do professor, quero saber o que vocês acharam.

26 comentários:

  1. Vim retribuir o carinho!
    Muito legal esse trabalho e extremamente importante para entendermos o outro.
    As perguntas foram bem elaboradas.
    Beijos

    https://blogtatitavares.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Muito bem- Gostei de ler:))

    Do nosso amigo Gil António:- Nuvens que me lembram os beijos teus.

    Bjos
    Votos de uma óptima Terça-Feira .

    ResponderExcluir
  3. muito interessante! como professora tenho dificuldade com tal situação, sou a favor da inclusão desde que prepare o profissional para que façamos um bom trabalho!

    https://adeliadanielablog.blogspot.com/2019/02/tbr-fevereiro.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente isso, espero que busque mais à respeito para que consiga trabalhar com essas crianças :D

      Excluir
  4. Oi Monyque,tudo bem?
    Muito boa sua entrevista! Adoro conhecer pessoas como o Richardson,que pensam nas pessoas com tanto carinho.
    Beijos
    http://blogcarolarruda.blogspot.com
    @blogcarolarruda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carol, tudo bem sim e contigo?
      Fico feliz em saber que gostou, esse é um trabalho incrível que ele está fazendo!
      Beijos

      Excluir
  5. Achem bem legal a proposta do livro e bem criativo o título. Acho importante esse tipo de pratica afinal todos merecem acesso a educação de qualidade.

    ResponderExcluir
  6. Meu Deus que coisa mais linda, achei incrível a proposta do livro e como tem aumentado o número de pessoas falando e discutindo sobre a questão da inclusão. Espero que o livro dele venha realmente ser um sucesso!

    Um beijo.

    Blog Covil Dourado | Instagram

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também espero Jennifer, merece ser muito reconhecido e que todos sejam capacitados :D
      Beijos

      Excluir
  7. Sempre com entrevistas maravilhosas e perguntas super pertinentes!

    THE PINK ELEPHANT SHOE

    ResponderExcluir
  8. Gostei da entrevista, parece ser mesmo um ótimo livro. Sucesso!

    Blog: O Planeta Alternativo

    ResponderExcluir
  9. Adorei a entrevista, respostas e perguntas bem completas
    Beijos
    www.opsquerida.com.br
    www.instagram.com/siteopsquerida/

    ResponderExcluir
  10. Gostei da entrevista e espero que o livro seja um sucesso! Trazer essa temática é tão importante para a vida das pessoas, porque é muito difícil ver o assunto sendo falado em rodinha de amigos etc. Proposta incrível a dele e entrevista incrível a sua!!!

    espelho do Reino <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, precisamos propagar mais esse assunto para que realmente seja entendido e vivido como deve ser :D
      Beijos

      Excluir
  11. Eu amei a postagem e mais ainda a entrevista!
    Tenho um irmão deficiente e ele é perfeito e muito inteligente, além de ser carinhoso e prestativo.
    Beijos.
    Diário da Lady

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah que coisa linda Lady, ele é um presente de Deus, espero que todos saibam cuidar bem dele e dar o valor que merece :)
      Beijos

      Excluir
  12. Adorei a proposta do livro e muito interessante

    Um beijo

    www.jessicamourablog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Oi, Monyque!
    Que iniciativa maravilhosa! Desejo todo o sucesso do mundo!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir